CIÊNCIA

Taxa de reinfecção pela Covid em Manaus na segunda onda pode ter chegado a 31%, sugere estudo

Confira o áudio:




Análise conduzida por cientistas do Centro Brasil-Reino Unido para Descoberta, Diagnóstico, Genômica e Epidemiologia de Arbovírus (CADDE) sugere que até 31% dos indivíduos que contraíram a COVID-19 em Manaus (AM) após janeiro de 2021 – quando a cidade foi atingida pela segunda onda da doença – correspondem a casos de reinfecção pela nova variante P.1.

O estudo foi feito com amostras de doadores de sangue, que foram submetidas a testes capazes de detectar anticorpos contra o vírus SARS-CoV-2. Os resultados foram divulgados na plataforma medRxiv, em artigo ainda sem revisão por pares.

“Triamos inicialmente amostras de 3.655 indivíduos que haviam doado sangue repetidas vezes ao longo de 2020 e início de 2021. Em seguida, selecionamos aqueles doadores que ainda não tinham sido vacinados e que haviam doado ao menos três vezes no período, tendo ao menos uma doação antes de julho de 2020 e outra após 1o de janeiro de 2021 [quando já predominava a P.1 na região]”, explica à Agência FAPESP Ester Sabino, professora da Universidade de São Paulo (USP) e coordenadora do CADDE – centro apoiado pela FAPESP.

Ouça a reportagem de Jorge Machado

Pesquisa foi feita por cientistas do CADDE com amostras de doadores de sangue submetidas a testes capazes de detectar anticorpos contra o novo coronavírus (após o colapso do sistema de saúde de Manaus durante o segundo pico epidêmico, pacientes tiveram de ser transferidos para outros Estados). Foto: Força Aérea Brasileira | Divulgação




VEJA TAMBÉM