SP SAÚDE

Dra. Fátima El Hajj trata sobre os riscos do álcool para a saúde vascular

Marcelo Ikeda Tchelão | Pixabay



Dra.Fátima El Hajj | Mesmo em um ano de pandemia, Carnaval sempre foi sinônimo de muita festa, diversão e, é claro, muito álcool. A verdade é que tudo em excesso faz mal e com a bebida isso não é diferente, seu consumo exagerado pode causar desde desidratação até trombose e infarto.

Além da vasodilatação dos vasos, a bebida também ativa a liberação de hormônios anti-diuréticos, que causam perda de líquidos essenciais para o nosso corpo, promovendo a diminuição do volume total de sangue circulante e sua concentração, tornando-o mais suscetível a tromboses.

O abuso pode ocasionar efeitos mais graves, como cirrose hepática e essa cirrose pode ocasionar trombose da veia porta e da veia cava, veias importantes do nosso corpo. Dessa forma, deve-se desencorajar o consumo diário de álcool, pois os efeitos a longo prazo para o fígado e o sistema nervoso central são perversos.

Para quem não abre mão, Fátima afirma que meia taça de vinho tinto por dia é recomendável para não passar vontade. “O álcool, em pequena quantidade, e de preferência ingerida em forma de vinho tinto que é rico em polifenóis, que protege nossas artérias da aterosclerose.”, conta a cirurgiã vascular, Fátima El Hajj.

Já para aqueles que não dispensam uma noite de muita bebedeira, cuidados podem ser tomados para amenizar seus efeitos negativos: “A regra é clara: dois copos de água para um copo de bebida alcoólica”, finaliza a especialista.

Siga a Dra. Fátima El Hajj no Instagram: @dra.fatima.vascular 




VEJA TAMBÉM



SP SAÚDE  |   21/09/2021 06h06


SP SAÚDE  |   30/08/2021 07h28


SP SAÚDE  |   30/08/2021 07h16