CIÊNCIA

Estudo detalha benefícios do transplante de células-tronco no tratamento da esclerose sistêmica

Confira o áudio:




A esclerose sistêmica afeta uma em cada 20 mil pessoas, em sua maioria mulheres na faixa dos 30 a 50 anos. É uma doença reumática autoimune, rara e agressiva, que compromete o paciente funcionalmente pela substituição de tecido normal por tecido cicatricial. Nos indivíduos que têm a forma mais grave, a mortalidade é de 30% a 50% em cinco anos.

Ouça na reportagem de Jorge Machado


 




VEJA TAMBÉM