SP SAÚDE

Hidrate-se! Dermatologista explica os impactos do baixo consumo de água para a pele
Ressecamento, coceira, perda de elasticidade e envelhecimento precoce são alguns sintomas



Hoje, o mercado da beleza oferece uma oferta gigantesca de produtos para todos os tipos de
pele, assim como escovar os dentes, o skincare também já faz parte da rotina de muitas
brasileiras, mas pular um dos principais hábitos pode colocar tudo a perder: beber água!

O consumo de água é importante não só para a pele, como para todo organismo. Nosso corpo
é formado por 70% de água, e sem ele não haveria vida. Ela é importante para os órgãos
internos e externos, como a pele. A sua falta gera um ressecamento, levando a coceira, que é o
chamado prurido, perda de elasticidade e envelhecimento mais precoce.

Segundo o Dr. Fraga, dermatologista da Dermagynus, é muito frequente pessoas mais idosas
terem essa pele seca por não consumir tanta água, então tem a pele mais ressecada,
craquelada e a coceira que dá é de difícil controle também. 

Os banhos quentes fazem mal para a pele porque acaba ressecando mais. “Todos nós temos
uma camada de gordura que protege a nossa pele e que não é visível a olho nu. Quando
começamos a tomar banhos quentes e demorados, nós perdemos essa camada de gordura,
quebra a barreira de proteção, e aí acontece o surgimento de dermatites mais intensas,
coceiras, eczemas e descamação)”, explica o dermatologista.

Para uma pele facial bonita e saudável, o recomendado é a água de morna para fria, nunca
quente, pois ela piora os sintomas de oleosidade e poros abertos, além de um creme
hidratante após o banho e protetor solar.

Fonte
Dr. Fraga, dermatologista
www.instagram.com/dermagynus




VEJA TAMBÉM



SP SAÚDE  |   21/09/2021 06h06


SP SAÚDE  |   30/08/2021 07h28


SP SAÚDE  |   30/08/2021 07h16