DINHEIRO

Como garantir consumidores satisfeitos na Black Friday


br.freepik.com/hellopixel

Faltam poucos dias para a Black Friday 2021. Após um longo período de crise que se instalou pelo mundo devido a pandemia do novo Coronavírus, varejistas se preparam para uma guinada significativa nas vendas durante a data mais aguardada do comércio.


O evento (que acontecerá na última sexta-feira do mês de novembro, dia 26), vem passando por algumas transformações desde o ano passado. Com a necessidade do isolamento social as compras online ganharam força, dando um grande destaque ao e-commerce. Em 2021, a expectativa é que esse caminho ainda seja o mais escolhido por parte dos consumidores.


Segundo um levantamento da RankMyApp, empresa especialista em mobile marketing, baseado em dados históricos, a estimativa é que neste ano, o número de downloads de aplicativos de e-commerce e de compras chegue a, aproximadamente, 800 mil, durante a Black Friday. Ainda de acordo com o estudo, também houve um aumento no número de conversões, um ponto-chave para uma boa estratégia de negócios, pois o termo influencia na possibilidade dos usuários manterem os apps instalados.


Tendo em vista a preferência pelo método de compra online e os desafios de manter usuários ativos nos aplicativos mobile, Luiz Lima, Sales Manager da CleverTap Brasil, reforça que "a retenção de clientes é essencial para a sustentabilidade de um negócio, seja ele um e-commerce ou qualquer outra vertical, e sendo um aplicativo se torna ainda mais relevante. As marcas que adotam estratégias de automação de marketing podem aumentar o ticket médio em até 40%, obtendo um maior volume de compras repetidas e LTV (LifeTime Value), que é o valor que uma empresa pode esperar receber de um cliente durante todo o ciclo de relacionamento. Na verdade, conquistar novos usuários pode ser até 25 vezes mais custoso para o negócio do que reter e engajar aqueles que já estão na base".


Mas, a grande movimentação da data requer cuidados e preparação por parte dos varejistas, principalmente, quando falamos em proteção de dados dos usuários. De acordo com Bruno Giordano, CSO da Ativy - ecossistema referência em soluções e transformação digital para grandes empresas da América Latina -, muitas empresas podem sofrer ataques por conta da quantidade dos volumes de dados que chegarão ali, e por isso é essencial se preparar.


"Atualmente, a questão já nem é mais sobre se uma empresa será atacada e sim, quando, pode ser. Por isso, é preciso pensar sempre de modo preventivo, e nunca reativo. Ou seja, é extremamente apropriado ter uma estratégia que seja eficaz contra as ciberameaças", comenta o executivo.


Os cuidados com os clientes são necessários, uma vez que as políticas de troca demandam uma grande atenção no pós data. É natural que, além do aumento no volume de vendas e pedidos, a quantidade de reclamações sobre o atendimento ao cliente e pedidos de troca de produtos no período da Black Friday também seja maior. "Para manter o bom relacionamento com os clientes e participar da Black Friday de maneira mais tranquila e bem planejada, é fundamental contratar as soluções de uma empresa especializada em contact center na nuvem, para oferecer ao cliente uma experiência personalizada e ágil mesmo com o efeito sazonal nas principais datas comerciais! Dessa maneira, as empresas mantém sua boa reputação, fortalecem o relacionamento com o consumidor e evitam uma enorme quantidade de problemas futuros, já que é após a data que a demanda dos contact centers aumenta consideravelmente. Na prática, o pico de atendimento acontece exatamente depois da Black Friday, com o início da temporada de festas de fim de ano", esclarece Paulo Manzato, VP regional de vendas da para LATAM da Talkdesk.


Para os varejistas, a data é muito importante e a expectativa é alta. Para a Genera, o primeiro laboratório especializado em genômica pessoal do Brasil, a data é de grande importância para as vendas de testes de ancestralidade no ano. "A Black Friday é um evento que mobiliza todos os setores da empresa durante o ano. Os preparativos para a data começaram vários meses antes, para que tudo saia conforme o planejado e possamos explorar bem as vendas através das estratégias que criamos", explica Ricardo di Lazzaro Filho, Ceo e Co-fundador do laboratório.


No ano passado, a data representou uma boa quantia no percentual de vendas anuais de testes de ancestralidade, saúde e bem-estar e em 2021 a projeção é que alcançar o dobro de vendas em relação ao ano de 2020. "A pandemia trouxe para o brasileiro uma maior preocupação com a saúde e isso gerou um aumento na procura de métodos preventivos de saúde. Esse ano queremos não só potencializar as vendas durante a data mais importante do ano para o comércio, mas também abrir portas para uma medicina personalizada, preventiva, preditiva e participativa", conclui Ricardo.


Para Gustavo Ferro, CEO da Grão de Gente, e-commerce especializado em decoração e enxoval para quarto de bebê, a expectativa de vendas para esta edição da Black Friday é alta e a empresa já se prepara com mudanças na operação, para atender a demanda desse período. "Na Grão de Gente as vendas aumentaram na pandemia, chegando a um crescimento de 300% no segundo trimestre de 2020, em relação ao mesmo período do ano anterior. Esse volume de vendas, nos fez acelerar nosso projeto de expansão fabril, que hoje conta com 15 mil m², o que nos permitiu aumentar em 253% a capacidade de produção em 2021 comparada à de 2020".




VEJA TAMBÉM



DINHEIRO  |   03/12/2021 17h17





DINHEIRO  |   05/11/2021 08h34